Com vocês, “o Capitão Motosserra”!

Brasil

Durante um evento em São Paulo, na terça-feira 6, o presidente Jair Bolsonaro declarou, em tom de ironia: “Eu sou o capitão motosserra”. Especialista em tentar fazer graça com assuntos sérios, Bolsonaro se referia à polêmica que ele mesmo criou ao criticar os números sobre o desmatamento na Amazônia, divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O episódio culminou na demissão do diretor do Inpe, o físico Ricardo Galvão, doutor pelo MIT. Preocupado com o futuro da Amazônia e do País, Galvão alertara para um problema que não deve ter passado pela mente destruidora do capitão. “Se o Inpe parar de medir o desmatamento, nossas exportações serão bastante afetadas”, disse o pesquisador. O que o nosso presidente parece não saber é que há uma enorme pressão de consumidores e governos de países desenvolvidos contra produtos que sejam fabricados às custas do desmatamento da Floresta Amazônica. Curiosamente, no mesmo dia da declaração de Bolsonaro, o Inpe divulgou mais um número assombroso. No mês passado, o desmatamento na Amazônia aumentou 278%, em relação ao mesmo período de 2018